Comunicação não faz milagre

Comunicação não faz milagre

Muitas empresas esperam encontrar uma lâmpada mágica para que o gênio da comunicação lhes conceda três desejos: aumentar as vendas, tornar a marca reconhecida e engajar colaboradores. Basta dizer “seu pedido é uma ordem” e tudo resolvido.

Mas a má notícia é que não existem milagres nessa história. Fórmulas prontas e caminhos fáceis são atalhos perigosos quando o assunto é comunicar.  Nessa matemática, é preciso encontrar as próprias incógnitas e desenvolver as equações lembrando de somar o trabalho em equipe, dividir experiências, multiplicar envolvimento e diminuir distâncias.

Sem tanta teoria: para que uma marca seja reconhecida pela imprensa e pelo mercado, seu produto ou serviço precisa ter um conteúdo de interesse público, contando com um diferencial. Para o consumidor, é preciso oferecer qualidade e preço, além de agregar à sua experiência de compra. Já para o colaborador, não há engajamento e reconhecimento, sem uma liderança comprometida, condições de trabalho adequadas e salários compatíveis.

Atribuir todos esses resultados apenas às ações de comunicação de curto ou médio prazo é esperar por um passe de mágica. E isso não quer dizer que a área não está aqui para resolver problemas. Muito pelo contrário: ela é parte essencial de todo o processo. Com esse olhar, a boa notícia é que a comunicação depende de muita estratégia, muita pesquisa e muito trabalho e por isso, torna-se responsável junto a outras áreas por trazer importantes resultados. Por isso, a grande oportunidade não é encontrar a lâmpada e sim criar soluções que, com planejamento e criatividade, vão atender a muito mais que três que pedidos.

 

 

Em mares de águas transparentes

Em mares de águas transparentes

Que estamos em um mercado cada vez mais competitivo, isso todo mundo já sabe. Ser criativo, inovador, diferente, encantador já não é mais um diferencial. É requisito básico para sobreviver em uma rede de opções oferecidas ao consumidor.

A recente polêmica envolvendo marca Hollister nos faz pensar sobre a premissa de transparência, que se solidifica como uma forte estratégia de comunicação. Na tentativa de construir uma imagem de conto de fadas, a marca criou uma história da sua origem que não é real. A versão fictícia, embora mais elaborada que a original, não é verdadeira. E isso conta muitos pontos quando o assunto é reputação. O acontecimento pode não trazer impacto direto nas vendas dos produtos, mas mostra que muitas empresas vão contra a maré quando o assunto é sinceridade. E se isso não incomodar os clientes, incomoda no mínimo, muita gente.

Os mais conservadores ainda têm medo de se expor de forma nua e crua. Os mais ousados, já usam a transparência a seu favor e começam a ganhar a credibilidade dos clientes. Com um nome sugestivo, a Honest By informa com detalhes toda sua cadeia produtiva, desde fornecedores a preços. O mesmo acontece com a brasileira, Apartamento 61, que nasceu da necessidade de encontrar móveis usados com valores justos. Hoje, o site trabalha informando o lucro final dos seus produtos. Já Toms Shoes doa um sapato para países necessitados todas as vezes que você faz uma compra e declara essas ações.

Essas são algumas marcas que provam que falar a verdade ainda é o melhor caminho. Ser ético, respeitoso e transparente é muito mais bonito do que só parecer bonito. Por isso, a nova ordem nada mais tem a ver com a estratégia do oceano azul. A regra agora é navegar em águas bem transparentes. Quem sair dessa rota, corre sérios riscos de afundar.

Em tempos de crise, CRIE!

Em tempos de crise, CRIE!

A área de comunicação está entre as mais criativas de uma empresa. Mas quando a recessão chega, é uma das primeiras lâmpadas a ser apagada para diminuir custos. Nesse movimento, o grande problema é que outra saída para a crise, é buscar o aumento da receita. Por isso, em um mercado retraído, com consumidores receosos, é preciso brilhar. Para reverter o cenário pessimista e aumentar as vendas, a estratégia é apostar em novidades que se propagem na velocidade da luz.

O que fazer para achar a luz no fim do túnel:

– Não deixe aquilo que você tem de melhor passar em branco. Destaque seus diferenciais, comunique seu potencial e espalhe as novidades. Assim sua reputação cresce e sua marca se fortalece.

– Seja diferente ao se relacionar com seus clientes. Empresas que não são criativas, acabam passando despercebidas na maré da turbulência. Mas se você conseguir surpreender e encantar um consumidor nessa época, tem boas chances de fidelizá-lo.

– Invista nas campanhas, promoções e descontos para chamar a atenção do mercado.

– Aposte na comunicação que fale direto com o seu público. Avalie os melhores canais, conteúdos e linguagens para que sua mensagem chegue efetivamente ao destino certo.

– Mantenha contato constante com os clientes e prospects. E-mails, visitas e redes sociais são bons meios para estabelecer um diálogo direto e rápido com o público.

Lembre-se: Se você fortalecer sua marca em momentos de crise, dificilmente ela será esquecida quando o mercado esquentar.

Seja bem-vindo!

Seja bem-vindo!

É  com  imensa  alegria  que  escrevemos  o  primeiro  post  do  nosso  blog.  Primeiro, porque nós adoramos escrever. Segundo, porque este será um canal exclusivo para compartilharmos conteúdos, tendências, cases e tantos outros os temas do universo da comunicação.

E  se  você  será  nosso  leitor,  saiba  que  este  espaço também  é  seu.

Comente, compartilhe, faça  sugestões,  pergunte.

É  só  entrar em  contato  com  a  gente  pelo contato@sempremaiscomunicacao.com.br.

Boa leitura!

Abraços da equipe SempreMais