A falta da Inteligência Social e o fracasso da comunicação interna

A falta da Inteligência Social e o fracasso da comunicação interna

Diariamente reflito sobre o porquê da dificuldade de implantarmos um processo de comunicação interna em algumas empresas. Participando recentemente de um curso sobre Inteligência Emocional, que abordou o tema Inteligência Social, tive reafirmada minha convicção de que a falta desta em certos líderes é com certeza um dos fatores que contribuem para o fracasso de algumas tentativas de implantação. Vejamos: são 6 as habilidades que devem ser trabalhadas no desenvolvimento da Inteligência Social; Comunicação Verbal, Comunicação Não Verbal, Autoapresentação, Assertividade, Feedback e Empatia.

Quando falamos sobre envolver e engajar o colaborador nos referimos a impactá-lo, principalmente, por meio do discurso direto da liderança de forma assertiva, que traga retorno aos anseios deste público e que gere empatia. Ou seja, a fluidez de um processo de comunicação interna depende do amadurecimento das habilidades que, bem resolvidas, definem um estágio de inteligência social excelente.

Na falta de um nível razoável desta inteligência por parte da liderança, peça importantíssima, para não dizer chave, em um processo de comunicação organizacional, o resultado do mesmo tem gigantescas chances de fracasso.

Desespero total? Não, de forma alguma. O início do desenvolvimento de um bom trabalho de comunicação para uma empresa é realizado com o estudo e preparação da sua liderança. Diante do exposto, nos resta abordar nesta preparação as habilidades que regem uma inteligência social efetiva e colaborar no direcionamento dos que mais necessitam desenvolvê-las!